segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

A NECESSIDADE É MÃE DA CRIATIVIDADE!

Gosto de ter sempre uma gostosura no pote da cozinha: um bolo, uma bolacha, um pão diferente. Não uma gostosura melequenta, que não é legal e nem ligo muito. Mas aquela coisa com cara de casa de vó, que sempre rola junto com um café...
Tinha lá um bolinho de cacau, e acabou. Aí resolvi fazer uma broa de fubá, que agrada muito a mim e ao filhote: uma hora da manhã, e eu na cozinha para fazer a broa... Putz! Acabou o fubá!! Na verdade só tinha um fubá branco, mas achei que não tinha nada a ver uma broa branca...
E se.... eu trocar o fubá por farinha de milho, aquela flocada?? A farinha de milho é obtida por um processo diferente, já foi aquecida, é mais macia, e eu, particularmente gostogosto.
Nasceu uma lindeza que veio para ficar: meio cookie, meio broa, mais macia, ainda com aquela graça farelenta da musa inspiradora... Aguardem variações!


BROALACHINHAS DE FUBÁ
Coloque no liquidificador bem seco: 1½ xícaras de farinha de milho flocada, 1½ xícaras de farinha de trigo, 1 boa pitada de sal, 2 colheres (chá) de fermento em pó, ½ colher (chá) de canela em pó e ½ xícara de açúcar. Pulse várias vezes para misturar tudo e quebrar bem os flocos da farinha. Junte 4 colheres de manteiga e pulse para misturar. Retire do liquidificador e junte 2 ovos, misturando bem, até ter uma massa firme mas bem grudenta. Descanse na geladeira por 15 minutos. Faça bolinhas com as mãos untadas, e achate levemente, como se fosse um mini hambúrguer.. Arrume em assadeira untada, deixando um espaço entre elas. Asse em forno pré-aquecido, 180 graus, até que dourem em volta. Enquanto assam, chame uma pessoa bem querida, faça um café, ponha a toalha na mesa, talvez uma manteiguinha, ou uma geleia,


MAIS DOÇURA NO SEU ASSADO

Existe um culto à carne magra. Seja ela viva ou morta. O patinho moído é uma instituição. O lombo de porco atualmente é uma carne tão seca (por falta de gordura), que chega a arranhar a garganta quando comemos.
Muitos dos assados das grandes festas de família: Natal, Páscoa, Ano Novo, são feitos com essas carnes, e aí surge um problema: a falta de "graxa" deixa esses pratos muito sem "graça"...
Se você ainda quer comer pouca gordura, a solução está no contraste: coma a sua carne com um molho doce! Se for doce e azedinho, melhor ainda, mais sensações, mais prazeres na hora de sentar com seus antepassados e descendentes para celebrar a vida.
Boa festa!
GELEIA DE AMEIXA PARA CARNES
Rendimento: 1 vidro
700g de ameixas roxas, maduras
1 maçã Fuji
2 cm de gengibre
½ colher (café) de cravo em pó
1 colher (café) de sementes de erva doce ou endro
2 pedaços de casca de limão
½ xícara de açúcar mascavo
½ colher (café) de pimenta calabresa ou habanero, seca
½ colher (café) de sal
Lave bem as ameixas, corte ao meio e retire as sementes. Faça o mesmo com as maçãs, cortando em 4 pedaços.

Coloque todos os ingredientes em uma panela grande e grossa, cubra com água e ferva até que quase toda a água seque e as frutas estejam desmanchando. Bata no liquidificador e sirva com carnes assadas. Pode-se guardar em um vidro na geladeira, por até 15 dias.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Pimenta, pimentinha pimentão

Especiarias são minha paixão. Confesso: sou viciada em um pó!!!! Não acho que seja só meu, esse vício. A “moda” das comidas tailandesa, mexicana, indiana, marroquina pelo mundo todo só confirma essa suspeita. O tempero certo, na quantidade certa, pode mudar completamente a aceitação de um alimento.
Também gosto de pimentas, mas sou bem patife, não agüento muita picância.
Por isso quando comecei a encontrar referências ao Harissa, pasta de pimentas megasupercondimentada de origem tunisiana, usada em boa parte do norte da África e oriente médio, fui ficando fascinada. Me parece que há várias possibilidades de escolha da pimenta, passando inclusive pelo pimentão, o que permite uma ardência menor. A maior parte das receitas pede a pimenta seca, o que não é tão fácil de encontrar por aqui. Isso eu resolvi com um forno baixo, por um tempo mais longo.  Aí entram os aromas, temperos e especiarias: cominho, coentro (as sementes) e alho parecem ser obrigatórios. Hortelã, anis estrelado, cebola, cravo, mostarda, suco de limão, coentro em folhas e cebola aparecem em combinações variadas, dependendo da receita.
Vocês podem imaginar o cheiro na minha cozinha??
MEU HARISSA
Rendimento: 350ml
3 pimentões vermelhos (mais ou menos 500g)
1 bandeja grande de pimenta dedo de moça (uns 400g)
2 cebolas roxas
2 dentes de alho grandes
1 colher (chá) de cravo
1 colher (chá) de sementes de mostarda
1 colher (chá) de sementes de anis estrelado
1 colher (sopa) de semente de coentro
1 colher (sopa) de semente de cominho
½ colher (café) de sal
3 colheres de azeite de oliva e mais para cobrir
Abra e retire as sementes das pimentas e pimentões. Espalhe em uma assadeira grande com os dentes de alho inteiros e as cebolas cortadas ao meio. Leve ao forno bem baixo, para que desidratem e dourem levemente (mais ou menos uma hora), sacudindo a assadeira no meio do processo.
Em uma frigideira grossa coloque o cravo, as sementes de anis, mostarda, coentro e cominho, e leve ao fogo baixo, mexendo sempre, para que tostem e liberem bem os aromas. Coloque em um pilão e soque até formar um pó grosso. Se tiver um moedor de especiarias, sorte a sua!

Retire as pimentas do forno e espere esfriar um pouco. Coloque no liquidificador, processador ou mixer. Na assadeira, coloque ½ xícara de água fervente, para soltar os queimadinhos. Bata as pimentas com 3 colheres de azeite, as sementes trituradas e o sal, usando a água da assadeira na quantidade necessária para ter uma pasta grossa, como um purê. Transfira a pasta para um vidro, cubra com azeite e espere um dia para começar a usar. Sempre que usar, cubra novamente com azeite. Dura até três semanas na geladeira. Duvido!!!

VIAJAR COM A COMIDA - BLINI

É uma delícia quando aparece uma preparação nova na mesa: pensar que quem cozinhou pensou em você para experimentar a novidade, a conversa toda que surge sobre o prato, a expectativa do cozinheiro pela reação das pessoas. Não precisa ser nada sofisticado, mas se tiver história, fica muito mais legal. E se for gostoso, fica espetacular!
Assim foi com os Blini. Sempre conheci como umas “mini pancakes”, aquela panquequinha mais fofa que os americanos comem,  sabia que era de origem russa, e no meu imaginário, blini são as bases perfeitas para um canapé de caviar: o blin (blini seria plural), creme azedo e as chiquérrimas ovas.
Estudando um pouco, vejo que blini estão mais para os crepes franceses que as fofinhas americanas, mas uma versão, os blini Demidoff, foi consagrada no filme “A festa de Babette” (vem daí o meu imaginário! Ela serve os blini com caviar e champagne...). De qualquer forma é uma massa redonda, que se come com recheios doces e salgados, e era uma tradição na festa em comemoração à chegada do verão, considerada um símbolo do sol, por ser redonda, dourada e quente... Os meus ficaram ovais... :(
Pois então, com a proximidade do nosso verão, vamos nos divertir com essa delícia, que vai ganhar o acompanhamento que você quiser... ou puder! Os meus ganharam o creme azedo com picles de pepino ou azeitonas pretas picadas.
BLINI
½ xícara de água morna
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de fermento biológico seco
1 xícara de farinha de trigo
1 colher de manteiga amolecida
1 ovo
½ colher (chá) de sal
Leite morno, se necessário
 Em uma tigela, misture bem: a água morna, o açúcar, o fermento e ½ xícara de farinha. Deixe descansar até que forme uma espuma, e quase dobre de tamanho.
Ainda batendo bem, junte o restante da farinha, a manteiga, o sal e a gema. Você deve ter uma massa como um bolinho de chuva, e bem lisa. Se necessário junte leite morno, às colheradas, para ter o ponto certo. Deixe descansar novamente até dobrar de volume. Bata a massa novamente para baixar, junte a clara em neve e descanse por 10 minutos.
Aqueça uma frigideira grossa e de fundo plano,abaixe o fogo, coloque um pouco de manteiga, espalhe. Com uma colher, faça três montinhos de massa, que vai se espalhando e forma pequenos círculos. Quando soltar do fundo, vire com cuidado para dourar do outro lado. Retire e coloque em papel absorvente.
Se quiser, os blini podem ser aquecidos no forno.
Sirva com manteiga ou nata, acompanhados por conservas salgadas ou geleia.

ESTEREÓTIPOS: COXINHA

Tem algumas coisas que parecem tão certas na cabeça das pessoas, chego a achar graça, um pouco antes de ficar um pouco incomodada.
As “verdades” que rodam por aí:
1-      Toda nutricionista só gosta de frutas e verduras e coisas integrais. Tem a versão hardcore dessa verdade, que é: toda nutricionista só come sem glúten e sem lactose.
2-      Todo mundo, fora as nutricionistas, ama coxinha.
As minhas verdades:
1-      Gosto muito de verduras, legumes e coisas integrais, mas não sou uma fã alucinada de todas as frutas. Gosto de gordurinha na carne, algumas frituras, pão francês, cerveja e sorvete com meleca.
2-      Não  enlouqueço quando vejo coxinha, mas adoro fazer!
Embora minhas coxinhas não cheguem aos pés da coxinha da dona Lourdes, do Café Gardênia em Londrina, me divirto quando faço, acho que principalmente pela reação das pessoas!
Semana passada fiz uma coxinha tipo infalível: uma massa com farinha e fubá, o que a deixou mais firme e fácil de manusear, achei legal compartilhar. Uma receita pequena e bem saborosa, como deve ser!
COXINHA DE FUBÁ
Rendimento: 10 unidades
1 sobrecoxa de frango, grande, sem pele
1 fio de azeite
1 cebola picada
1 dente de alho grande
1 tomate grande, cortado ao meio, sem semente
½ cenoura
Sal
Pimenta
Salsinha picada
1 colher (rasa) de manteiga
½ xícara de farinha de trigo
½ xícara de fubá pré-cozido
1 clara para empanar
Farinha de Rosca para empanar
Óleo para fritar
Em uma panela grande, doure o frango no azeite. Junte a cebola, o alho, refogue mais um pouco, adicione o tomate, a cenoura, o sal e a pimenta. Cubra com 3 xícaras de água, e deixe ferver para cozinhar bem a carne e o caldo reduzir a uma xícara. Coe o caldo e esfrie os sólidos que ficaram na peneira, escorrendo muito bem. Meça 1 xícara de caldo e leve para ferver com a manteiga. Acerte o sal. Quando ferver, junte a farinha e o fubá misturados, mexendo vigorosamente até que forme uma bola de massa solta da panela. Desligue. Enquanto a massa esfria um pouco, faça o recheio: retire o osso do frango, a pele do tomate, e desfie bem a carne e amasse bem os temperos, misturando tudo. Acerte o sal e finalize com bastante salsinha picada. Coloque a massa morna em uma superfície e amasse muito bem para que fique lisa e maleável. Faça uma bolinha de massa, aperte para formar um disco, coloque o recheio no centro e junte as laterais , formando um “bico”, descartando algum excesso de massa.
Para empanar: bata a clara levemente com um garfo, apenas para ficar mais uniforme. Passe as coxinhas na clara e finalize na farinha de rosca, de forma que fique totalmente recoberta. Frite as coxinhas em óleo quente abundante, até que dourem. Escorra e sirva quente.
Para mim, uma só, e com pimenta, por favor.


domingo, 13 de dezembro de 2015

NÃO BABA, BABY

Um vegetal polêmico, o quiabo: alguns amam outros odeiam. Minha convivência com ele é mais ou menos recente, considerando meu tempo de estrada: acho que como quiabo há uns vinte anos, não fazia parte do hábito culinário da minha mãe.
Comecei pelo frito, a versão “infantil”, porque sempre está sequinho, é fácil demais ficar fã. À medida que fui ficando mais valente, passei para o refogado, e cheguei ao quiabo cozido na salada, mas apenas aquele levemente escorregadio: baba demais continua sendo difícil para mim.
Só que para fazer um quiabo cozido ou refogado com as glândulas salivares mais calmas é preciso ter um pouco de paciência: lavar com cuidado para não quebrar, secar muito bem antes de colocar na panela, sem bem quente para receber o legume manhoso.
Só que não!!!
É divertido, é saboroso, é leve... gente... babei!!!!!
QUIABO NO PAPILLOTE
Rendimento: 1 porção
½ xícara de quiabo, lavado e cortado em rodelas não muito finas
Fatias finas de alho, à gosto
Sal e Pimenta do Reino
1 fio de azeite
1 rodela de limão
Corte um retângulo de papel alumínio, e coloque na bancada com a parte brilhante virada para cima. Arrume o quiabo e o alho no centro do papel, tempere com sal e pimenta, regue com um fio de azeite e cubra com o limão. Levante as laterais do papel, como se fosse dobrar ao meio. Vá juntando as duas folhas, pelas beiradas, deixando o pacote com cara de um “pastelão”, muito bem fechado. Esse é o truque: não deve entrar nenhuma água ou ar no pacote durante o cozimento.
Coloque uns 50ml de água em uma frigideira, arrume o pacotinho no centro, e ferva por uns 5 minutos. Pode ser que a água seque, se for no finalzinho do cozimento não há problema nenhum.
Sirva!


domingo, 29 de novembro de 2015

Comida para Gringo Gostar...

Na semana passada uma cliente me pediu sugestões de pratos que sua filha, indo para a Alemanha em um intercâmbio, pudesse preparar para mostrar um pouco da nossa culinária. Tá bom, eu sei que você pensou em feijoada e caipirinha, mas ela tem 17 anos!!! Não pode beber caipirinha e possivelmente não faria uma super feijoada (não é preconceito, apenas estatística: as melhores feijoadas que comi na vida foram preparadas por maiores de 45 anos, sem errar!). E ainda tem a dificuldade de encontrar ingredientes por lá...
Aí lembrei do manjar que fiz para minha terceira irmã na Itália: aquele manjar branco de vó, nada de leite condensado, apenas leite de coco (fácil de achar em qualquer lugar desse mundão por conta da força da culinária indiana e tailandesa), leite, engrossado com maisena e calda de ameixa (as ameixas são deles!!). Um toquezinho de creme fresco para dar mais leveza, e pronto! Sucesso absoluto! Um doce leve, refrescante, o encontro do "exótico" coco com a amada e conhecida ameixa, deixa qualquer gringo louco.
A receita segue com as dicas de nome para a garota achar (tipo Google Imagens, estou aceitando correções!!)


MANJAR BRANCO
Leve para ferver: 1 xícara de leite de coco (Kokosmilch), 2 xícaras de leite e 3 colheres de açúcar. Enquanto esquenta, dissolva em uma tigela pequena 6 colheres rasas de Maizena (existe essa marca lá) com pouco mais de ¼ de xícara de água: dissolver com a ponta dos dedos, para poder desfazer todas as bolinhas que se formam. Despejar a Maisena sobre o leite quente e mexer sem parar, fervendo até engrossar, fazendo bolhas nas laterais da panela. Juntar 2 colheres de creme de leite (procure como heavy cream, vai achar!) e mexer bem. Despejar o creme em uma forma de pudim untada com manteiga e levar para gelar por pelo menos 4 horas.
Calda: ferver 1 xícara de ameixas secas (Dörrpflaumen) sem caroço com uma xícara de água, por 2 a 3 minutos, para que as ameixas “inchem” um pouco. Adicionar ½ xícara de açúcar e deixar ferver até ter uma calda fina. Esfriar.

Soltar as laterais do manjar com uma faca, desenformar em um prato e cobrir com a calda. 

Sonhos de uma noite de Verão

Os Pastéis Primavera são bem conhecidos por aqui. Você encontra em restaurante chinês, vegetariano, self service... capaz até de ter no Habibs!!
Já os "Summer Rolls", "Rolinhos de Verão" (feio o nome, né? será que tem algum nome mais bonito?) ficaram mais tímidos, em poucas casas, provavelmente porque a massa que envolve é de papel de arroz, um pouco mais chato de encontrar. Mas a ideia de enrolar saladinhas como um charuto e comer com um molhinho bem cheio de personalidade pode ser aproveitada, não acham?
Não sei quanto à vocês, mas eu tenho problemas com a acelga: gosto muuuito dela, mas parece que não acaba nunca! Aí, em uma noite quente e sem jantar, estava a danada lá na gaveta da geladeira, e num cantinho, um resto de broto de feijão... 
E se....
ROLÊ DE VERÃO
Rendimento: 2 porções
2 folhas de acelga, com a parte mais larga do talo retirada
1/2 xícara de broto de feijão, previamente cozido em água fervente por 1 minuto
1/2 xícara de cenoura cortada em palitinhos finos ou ralada
pepino japonês cortado em fatias finíssimas
1/2 tomate, cortado em tiras
folhas de hortelã
amendoim torrado e moído grosso

Molho:
1 colher (chá) de gengibre ralado
1 colher (sopa) de suco de limão
1 colher (sopa) de azeite
1 colher (chá) de mel
sal
Aqueça água em uma frigideira grande, quando ferver mergulhe as folhas de acelga e escorra logo em seguida. A ideia é tornar a folha flexível, mas manter alguma crocância.
Abra a folha em uma superfície, e arrume todos os ingredientes em uma "faixa", na parte inferior da folha, deixando espaço na base e nas laterais. Dobre a parte de baixo da folha sobre o recheio, dobre as laterais da folha, formando um envelope, e termine de enrolar até a ponta da folha. Você pode fazer vários rolinhos pequenos, ou alguns mais grossos e servir cortado ao meio, como se fosse um wrap.
Para o molho, misture todos os ingredientes. 
Sirva os rolinhos com o molho, e invente diversos sabores para as próximas noites de verão!

Panetone Caseiro? Não consigo fazer um decente!

Gosto muito de panetone. De panetone, não desses melecotones que se vende por aí, deles eu tenho é medo! Para mim panetone é gosto de casquinha de laranja (a "essência" de panetone é isso...) e de uva passa... confesso que dispenso as frutas cristalizadas.
Todo ano tento fazer em casa, mas não consigo fazer algo que me agrade. Massas fermentadas são delicadas, muito açúcar, muita gordura... não sei, temos um problema de relacionamento eu e a massa do panetone.
Mas gosto muuuito do gosto do panetone. E gosto muuuito de inventar.
Que tal fazer um bolo com gosto de panetone? Inclusive com aquele gostinho de fermento biológico?
Tá lá!
BOLOTONE
Rendimento: 1 bolo de 20cm de diâmetro.
Fermento:
½ xícara de água morna
½ xícara de farinha de trigo
1 colher de fermento
1 colher de açúcar
Colocar tudo no liquidificador, bater e deixar descansar por 20 minutos.

Juntar:
2 ovos
1/3 de xícara de manteiga derretida
1 colher (café) de essência de baunilha
Bater mais.

Misturar os Secos em tigela separada:
½ xícara de farinha branca
½ xícara de farinha integral
¼ xícara de passas
¾ xícara de açúcar
Raspas de limão
Raspas de laranja
Misturar o líquido e os secos.
Deixar descansar por 40 minutos.
Misturar de novo, juntando 1 colher (chá) de fermento químico.

Colocar a massa em forma de abrir, untada.
Cobertura:
1/2 xícara de açúcar de confeiteiro
1 a 2 colheres de água
Misturar água ao açúcar, bem devagar, até formar uma cobertura grossa. Se quiser branquinha, despejar sobre o bolo frio. Se quiser mais brilhante, despeje no bolo quente.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Vinho quente.... frio! Manjar dos Deuses Embriagados

Tenho muitos cheiros que me emocionam... O alecrim e manjericão me levam para o colo da minha mãe, o salsão e a erva doce sorriem e acarinham como meu pai....
Tem um sabor, um aroma, que me leva não sei prá onde, mas é um lugar muito bom... esse cheiro é do sagu de vinho.. Não sei porque, mas sou louca por ele. Só que fazer sagu demora, sempre rende uma porção enorme, e como ninguém "viaja" nele como eu... vixe! bobagem...
Aí apareceu essa ideia: sagu é feito com amido, então façamos um manjar! Manjar é outra delícia de sonho, que lembra coco, então façamos uma calda de coco!
Eis aqui o resultado dos meus sonhos
MANJAR DE VINHO COM CALDA DE CARAMELO E COCO
Rendimento: 6 porções
1 xícara de vinho tinto
1 xícara e meia de água
1 pau de canela
2 cravos
½ xícara de açúcar
3 colheres de amido de milho
Calda:
½ xícara de açúcar
½ xícara de água
½ xícara de leite de coco
Leve ao fogo o vinho, a água, canela, cravos e açúcar, e ferva por 5 minutos. Retire o cravo e a canela. Acrescente aos poucos, o amido de milho previamente dissolvido em água fria, e mexa sem parar para que engrosse sem formar grumos. Depois que ferver e engrossar desligue o fogo e despeje o manjar em uma forma de pudim, pequena, levemente untada com óleo neutro ou manteiga. Leve para gelar por pelo menos quatro horas.
Para a calda: em uma panelinha, leve o açúcar com 1 colher de água ao fogo. Quando ficar um caramelo médio, junte o leite de coco com cuidado para não se queimar. Mexa para dissolver, e vá juntando a água necessária para formar uma calda fina. Espere esfriar e guarde em um pote fechado, mas fora da geladeira.
Para servir, desenforme o manjar, cubra com a calda e se quiser decore com coco queimado.

Falando de Abobrinhas...

Amo abobrinhas, especialmente as abobrinhas italianas. Amo queijo parmesão.
Segue receita de amor, quentinho, gostoso e que faz bem!
ABOBRINHA COM PARMESÃO
Rendimento: 2 porções
1 abobrinha italiana de tamanho médio
Sal, pimenta do reino e noz moscada
2 a 3 colheres de queijo parmesão ralado
Corte a abobrinha em fatias finas e arrume em um refratário untado, uma fatia cobrindo parte da outra, formando uma camada só.
Tempere com um pouquinho de sal, pimenta do reino e noz moscada ralada. Cubra toda a superfície com queijo ralado, e leve ao forno pré-aquecido por 10 a 15 minutos, até que fique bem douradinho por cima.


Molho de Salada com Iogurte, Cebola Dourada e Curry... quer mais??

Iogurte é muito prático para temperar salada: qualquer sabor um pouco mais marcante que você mistura, já dá um molho bom: hortelã, mostarda, curry, chimichurri, catchup... Nesse caso aqui, realcei ainda mais os sabores adicionados, aquecendo-os no azeite...
E aí, pelamor, ficou um espetáculo.
Se eu fosse você, guardava essa receita...


MOLHO DE IOGURTE E CURRY
Rendimento: 150ml
4 colheres de azeite
1 cebola pequena, picadinha
2 colheres (chá) de curry
1 pote de iogurte natural
Raspas da casca de 1 limão
sal
Em uma frigideira, refogue a cebola no azeite, em fogo baixo, bem devagar, até ficar bem dourada. Retire do fogo e junte o curry. Espere esfriar, e misture o iogurte, as raspas do limão e acerte o sal.

Cuca de Banana, uma "releitura"

Esse bolo ficou cheiroso, úmido, macio, encorpado, a casquinha crocante... um pouco de cada coisa! O que vai nele? Um pouco de cada coisa!

BOLO UM POUQUINHO DISSO, UM POUQUINHO DAQUILO
Rendimento: 15 porções
2 ovos
1 xícara de açúcar mascavo
2 colheres de açúcar
1 banana madura
2 colheres de cacau em pó
½ xícara de manteiga derretida
1 potinho de iogurte natural
½ xícara de aveia em flocos finos
½ xícara de farinha integral
1 xícara de farinha branca
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
Para a farofa:
2 colheres de manteiga gelada, cortada em cubinhos
2 colheres de açúcar
1 colher (chá) de canela em pó
1 colher de farinha de trigo
2 castanhas do Pará, em fatias finas
Unte uma forma de pão e forre o fundo e duas laterais com papel manteiga. Reserve.
Faça a farofa: esfarele com os dedos o açúcar, a farinha, a manteiga e a canela até ter o aspecto de farelo de pão. Misture as castanhas e reserve.
Misture bem os ingredientes secos: a aveia, as farinhas branca e integral e o fermento em pó.
Bata no liquidificador: os ovos, açúcar mascavo, açúcar branco, iogurte, manteiga derretida, o cacau e a banana. Misture esse creme aos ingredientes secos, sem bater demais. Coloque a massa na forma preparada, cubra com a farofa e leve ao forno pré-aquecido, 180 graus por mais ou menos 45 minutos ou até que passe no teste do palito.

Desitalianei a Bruschetta!!

Adoro bruschetta, mas acho que o casamento do tomate com o manjericão anda meio monótono, resolvi dar uma chance à hortelã com pimenta.... muuuita pimenta! 
Uma receita super fácil e econômica, que depende basicamente da qualidade dos ingredientes, que me deixou encantada pela gostosura e simplicidade. 
CANAPÉS DE TOMATE
Rendimento: 12 canapés
3 fatias de pão integral bem gostoso
1 tomate carnudo, maduro e firme
2 colheres de salsinha picada
1 colher de hortelã picada
Azeite de oliva
Pimenta do Reino
Sal
3 colheres de nata fresca (ou coalhada seca)
Corte as fatias de pão integral em 4 partes, e deixe-as abertas para que fique um pouquinho “ressecadas” por cima. Corte o tomate ao meio, retire as sementes e pique em cubinhos bem pequenos. Tempere esse tomate com muita pimenta do reino, junte a salsa e a hortelã, acerte o sal e regue fartamente com azeite. Deixe descansar pelo menos 20 minutos, para que o tomate desidrate um pouco. Na hora de servir, escorra os tomates (pode usar o líquido para temperar salada!) coloque uma porção de nata no centro do pão e cubra com os tomates escorridos.

Sopa Gelada em Copinhos: aperitivo, salada e assunto!

Sopa gelada já vai causar impacto! Num pais tropical, não aprendemos a tomar essas maravilhas. Picante, com leite de coco, e servida em copinhos, como aperitivo... uau! uma semana de conversa! Essa receita nasceu no verão passado, e é tudo de bom: saudável, gostosa, charmosa, diferente e um aperitivo super econômico!
SHOT DE BRÓCOLIS COM CARA DE ÍNDIA


1 xícara de caldo de frango, sem gordura ou de legumes para uma versão vegana
1 xícara de água
1 cebola pequena
4 xícaras de brócolis picado (aproveite os talos e folhas!)
1 batata média cortada em cubos
Pimenta em conserva ou molho de pimenta à gosto
1 pitada de cominho
4 a 6 colheres de leite de coco
Cozinhar na pressão, por 5 minutos: o caldo de frango desengordurado (leve para gelar e coe), a água, a cebola a, o brócolis ninja e a batata média.
Deixe esfriar muito bem. Bata no liquidificador com a pimenta, o cominho e finalize com o leite de coco. Acerte a consistência com água, e verifique o sal. Leve para gelar muito bem. Sirva em copinhos, como aperitivo.

sábado, 31 de outubro de 2015

Bolo de fubá

Hoje é Dia de São Pedro, o último dos santos festejados nas Festas Juninas, e não poderíamos passar esse período sem uma receita típica, não é?
BOLO DE FUBÁ 
Tempo de preparo: 50min
Rendimento: 15 pedaços
1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de fubá
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
1 colher (chá) de canela em pó
½ colher (chá) de cravo em pó
2 ovos
1 xícara de açúcar
½ xícara de nata fresca
1 potinho de iogurte natural
Untar e enfarinhar uma forma de buraco no meio, ou forrar uma forma de pão, untada, com papel manteiga. Pré-aquecer o forno a 200 graus. Misturar muito bem, em uma tigela: a farinha, o fubá, o fermento, a canela e o cravo. Bater todos os outros ingredientes no liquidificador, despejar sobre os ingredientes secos, misturando bem. Colocar a massa na forma preparada e assar por aproximadamente 30 minutos, ou até que passe no teste do palito.

Linguiça arrepolhada

A receita de hoje é deliciosamente safada: fácil, barata, simples, mas é uma forma bem legal de aumentar os vegetais na sua refeição. No lugar daquelas fatias de cebola que você usa quase por obrigação, que tal "repolhar" sua carninha? 
LINGUIÇA ARREPOLHADA
Rendimento: 4 porções
Preparo: 20 minutos
1 lingüiça calabresa defumada de boa qualidade
¼ de um repolho pequeno
½ xícara de pimentão vermelho em cubos
1 colher (café) de cominho
Azeite
Refogue a calabresa fatiada em uma panela grande, até que comece a dourar e querer “pegar” no fundo da panela. Junte o repolho cortado grosseiramente e o pimentão, tempere com o cominho e siga refogando, com calma, mexendo sempre, até que fique tudo bem cozido e macio.

Cream cheese de mentira

Feito em casa é sempre mais bacana! Que tal um queijo cremoso, leve e natural, para seus lanches e café da manhã? Eu também usei para fazer cheesecake, ficou ótimo!
CREAM CHEESE DE MENTIRA
Rendimento: 1 pote de 200ml
Preparo: 15 minutos
1 litro de leite
3 colheres de vinagre branco
2 colheres de queijo parmesão ralado
2 colheres de manteiga com sal
Leve o leite para ferver, junte o vinagre branco e deixe que ferva até separar bem e o soro fique meio esverdeado. Coe em peneira fina e passe água rapidamente, para tirar o excesso de vinagre, mas sem deixar baixar a temperatura. Jogue a ricota quente no liquidificador, adicione o parmesão ralado e a manteiga com sal, e bata até ficar um creme. Se necessário junte até 2 colheres de leite quente. Coloque o creme em pote fechado e conserve na geladeira por até 10 dias.

Batatas com parmesão

BATATAS COM PARMESÃO
Rendimento: 3 porções
3 batatas médias
1 colher de manteiga
Sal
Noz Moscada
3 colheres de Queijo Parmesão ralado
Lave muito bem as batatas, escovando a casca. Com uma faca de ponta, fure as batatas em todos os lados, arrume-as ainda úmidas no prato do microondas e cozinhe na potência alta por 1 minuto e meio. Vire as batatas e cozinhe por mais 1 minuto e meio. Corte-as, ainda quentes, em fatias grossas, e coloque em uma tigela com a manteiga, o sal e a noz moscada, mexendo bem para que a manteiga derreta e envolva tudo muito bem. Arrume as batatas num refratário pequeno, polvilhe o queijo ralado e leve ao forno alto até que doure.

Salada de berinjela ao limão

Hoje mais uma receita de salada de berinjela, que esta linda e com preços bem legais. Essa é uma versão inspirada no babaganuche, tem um sabor forte e marcante.
SALADA DE BERINJELA AO LIMÃO
Rendimento: 2 porções
Ingredientes:
1 berinjela inteira
1 colher de azeite
Suco de ½ limão
1 colher de hortelã fresca, picada
½ colher de gergelim
Coloque a berinjela inteira, apenas lavada, diretamente sobre a chama do fogão, virando a cada minuto, mais ou menos, para que ela fique “chamuscada” em toda casca. Coloque a berinjela em um prato, leve ao microondas por 1 minuto e meio de cada lado. Corte-a ao meio, e com uma colher, retire toda a polpa, separando da casca queimada. Tempere-as ainda quentes com sal, azeite e limão. Polvilhe a hortelã picada e o gergelim previamente tostado em uma frigideira seca.

Bolinho de chuva(integral e com banana)

Essa foi a receita de hoje no A Hora é Agora da Rádio Globo, postada com um bom atraso... Receita super atual....
BOLINHO DE CHUVA (INTEGRAL E COM BANANA)
1 ovo
1 banana nanica pequena
1/2 xícara de farinha de trigo branca
1/2 xícara de farinha integral
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher de açúcar
leite suficiente para dar o ponto
óleo para fritar
Açúcar e canela para polvilhar
Amasse a banana, junte o ovo e o açúcar, bata, adicione as farinhas com o fermento, misture bem, e acrescente leite suficiente para ter uma massa lisa, mas pesada, com uma textura parecendo sorvete amolecido.
Frite, às colheradas, dourando dos dois lados. Coloque o açúcar e a canela em um saco plástico, despeje os bolinhos, feche, sacuda um pouco para envolver bem e sirva os bolinhos quentinhos, com uma bela xícara de café com leite!!

Purê de maçãs

Como ontem teve doce, hoje o doce é meio salgado!!
Você deixa seu assado mais elegante se servir um lindo purê de maçãs para acompanhar, vamos?
PURÊ DE MAÇÃS
Rendimento: 2 porções
2 maçãs fuji
1 colher de açúcar
1 pau de canela
Descasque as maçãs, corte em pedaços, coloque em uma panela com o açúcar, cubra com água, junte a canela, e ferva, tampada, até que ao mexer com uma colher de pau, a mistura se torne naturalmente um purê. Se necessário, junte mais água durante o preparo.

Salada com graças

Segunda feira é dia de salada no A Hora é Agora. Muita gente alega que salada é uma coisa sem graça... não seja por isso! Hoje vamos ver uma salada boba de repolho e tomate cheia de graças!
SALADA COM GRAÇAS
Rendimento: 2 porções
2 xícaras de repolho cortado fino
1 xícara de tomatinhos cereja
2 colheres de hortelã fresca picada
1 fatia de 0,5cm de bacon
Raspas e suco de ½ limão
Azeite de Oliva
Sal Granulado
Misture o repolho com os tomates, a hortelã picada e as raspas de casca de limão. Embrulhe a fatia de bacon em 2 folhas de papel toalha, e leve ao microondas por mais ou menos 30 segundos de cada lado, ou até que fique sequinho, com boa parte da gordura no papel. Pique e salpique sobre a salada. Tempere, um pouco antes de servir, com azeite, suco de limão e o sal granulado.

Hamburguer do vegetariano solitário

Quando pretende fazer sua comida em casa, mesmo que seja só para você, é muito importante uma despensa inteligente. Você conhece a farinha de grão-de-bico?
Receitinha para UM!
HAMBURGUER DO VEGETARIANO SOLITÁRIO
Rendimento: 1 porção
1 xícara (de café) de farinha de grão de bico
1 colher de cebola ralada no ralo grosso
1 colherzinha (de café) de zaatar
Sal
Água suficiente
Azeite para fritar
½ cebola roxa
Mel
Para o hambúrguer: misture a farinha de grão de bico, a cebola, o zaatar e o sal em uma tigelinha. Vá acrescentando água fria, aos poucos, até que tenha uma massa ligada, mas bem grossa. Essa massa deve ser bem misturada, assim o hambúrguer fica mais leve.
Forme um hambúrguer com as mãos úmidas e grelhe em frigideira com azeite, no fogo baixo, dourando bem dos dois lados. A massa é molenga, mas logo forma uma casquinha por fora.
Retire o hambúrguer, e doure a cebola roxa fatiada na mesma frigideira, até amaciar. Tempere com sal e um fiozinho de mel, e sirva sobre o hambúrguer. Coma com suco de limão....

Chips de batata com orégano nos fornos

Já fizemos chips de jiló, andou rodando por aqui um de abobrinha, mas hoje eu trago o básico, para melhorar a qualidade nutricional do seu estrogonofe! Experimente trocar a "batatapalhacheiadegordurameioporcaria" por essas gostosuras.
CHIPS DE BATATA COM ORÉGANO NOS FORNOS 
Rendimento: 1 porção
1 batata inglesa, bem lavada e seca
Orégano
Azeite
Sal
Corte a batata com casca em fatias finas, e seque bem com papel toalha. Polvilhe orégano sobre as batatas e arrume-as no prato do microondas, lado a lado. Leve por 3 minutos na potência alta, vire-as e repita a operação. Elas devem ficar bem sequinhas e querendo começar a dourar. Se ainda não for suficiente, vá fazendo pequenos ciclos com o microondas , sempre virando as batatas. Retire-as quentes, tempere com sal e um fio de azeite e leve por 2 minutos ao forno convencional, pré-aquecido, em temperatura alta.

Goiabinha

Sexta-feira... que tal uma bolachinha de goiabada para o lanche??
GOIABINHAS
Rendimento: 42 bolachinhas
¼ de xícara de nata fresca
¼ de xícara de manteiga amolecida
½ xícara de açúcar mascavo
1 ovo
1 colher (café) de canela em pó
1 colher (café) de gengibre em pó
1 pitada de noz moscada ralada
1 colher (chá) de fermento em pó
½ xícara de farinha integral
1 xícara de farinha branca
Goiabada
Bater na batedeira: a manteiga, a nata e o açúcar até ficar leve e claro. Juntar o ovo, e bater bem. Ainda batendo, juntar os temperos, o fermento e a farinha integral. Finalizar com a farinha branca, batendo para misturar. Colocar a massa em um plástico e levar à geladeira por pelo menos 1 hora (pode fazer de véspera). Na hora de assar, pré-aquecer o forno em 200 graus e forrar uma assadeira grande com papel manteiga. Dividir a massa em 6 pedaços iguais.
Colocar um pedaço de massa sobre um pedaço de papel manteiga polvilhado de farinha, cobrir com outro papel, e abrir com o rolo até ter um retângulo de mais ou menos 10x20cm. Arrumar fatias finas de goiabada no centro da massa, em todo sentido do comprimento. Dobrar a massa sobre a goiabada, como se fosse uma carta, e fechar as pontas, apertando a massa. Repetir com os outros 5 pedaços. Coloque os rolinhos na assadeira preparada com a emenda voltada para baixo. Levar ao forno por mais ou menos 20 minutos, até que fique sequinho, e os rolinhos se soltem facilmente do papel. Cortar cada rolinho, ainda morno, em 7 pedaços. Guardar em pote fechado, depois de frio.

Abobrinha crua com limão

Segunda feira de salada, diferente e refinada, para inspirar a semana. Tenho visto lindas abobrinhas italianas nos mercados. Compre as menores para esta receita... quanto menos semente, melhor!
ABOBRINHA CRUA NO LIMÃO
Rendimento: 1 porção
Ingredientes:
1 abobrinha italiana pequena e “magrinha”
1 limão Taiti
Azeite
Sal granulado
Pimenta do Reino moída na hora
Sementes de Mostarda
Lave bem a abobrinha e corte-a em fitas bem finas, com auxílio de um mandolin ou descascador de legumes, já sobre o prato de servir. Raspe toda a casca do limão sobre as abobrinhas, polvilhe o sal, a pimenta, as sementes de mostarda, regue com azeite de ótimo sabor e finalize com o suco de metade do limão.

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Comum, mas diferente

O mais divertido na cozinha, para mim, é fazer o comum diferente. Não precisa ser especial, chique, gourmet ou refinado. Só diferente. Outra coisa que gosto é de dar nome às receitas. Parece que prolonga a diversão...
Um bolo bobo e querido, que continua bobo e querido.
Mas diferente. Com um nome engraçadinho.
BOLO FORMIGUEIRO COM RAINHA
Rendimento: 15 bolinhos
1 xícara de farinha branca
1/2 xícara de farinha integral
1/2 xícara de chocolate granulado
1 colher (chá) de fermento em pó
1 ovo
1 xícara de açúcar
1/2 xícara de óleo ou manteiga derretida
1/2 colher (chá) de essência de baunilha
1/2 xícara de leite
1 colher de suco de limão
8 quadradinhos de chocolate ao leite
Arrume 15 forminhas de papel em 15 forminhas de empada ou cupcakes e reserve.
Misture as farinhas, o granulado e o fermento e reserve.
No liquidificador, bata: o ovo, açúcar, óleo,baunilha, leite e suco de limão, até formar um creme liso. Despeje o creme nos ingredientes secos e bata para misturar. Distribua a massa nas forminhas preparadas. Corte cada quadradinho de chocolate em dois e coloque um pedacinho no centro de cada forminha. Leve ao forno pré-aquecido a 200 graus até que doure e passe no teste do palito, uns 25 minutos.

Bolo Loiro?

No Brasil temos o bolo Nega Maluca como um dos nossos maiores queridos. Os americanos tem "as nega" deles, com o Brownie, delícia também. Mas eles tem os Blondies, versão platinada dos brownies, sem chocolate. Inspiração para um bolinho novo, aqui no Colher!
BOLO LOIRO
Rendimento: 8 porções
3 colheres de manteiga
½ xícara de açúcar
2 ovos
1 colher (café) de baunilha
1 colher (chá) de fermento em pó
¾ xícara de farinha de trigo misturada com aveia em flocos finos
2 colheres de doce de leite em pasta
3 colheres de nozes picadas grosseiramente
Unte bem uma forma pequena, de fundo removível. Coloque a manteiga e o açúcar em uma tigela refratária ou de inox, encaixe a tigela em uma panela pequena com água e leve ao fogo para que derreta, batendo com o fouet. Retire a tigela do fogo. Sempre batendo, junte os ovos e a baunilha. Adicione a farinha e o fermento, misture bem até ficar homogêneo e finalize com as nozes. Despeje a massa na forma. Coloque o doce de leite em um saquinho (ou saco de confeitar), corte a pontinha e faça uma espiral de doce por toda a superfície do bolo. Leve ao forno pré-aquecido, 180 graus, por 18 a 20 minutos, até que fique firme, mas um palito enfiado no centro do bolo saia ainda um pouco úmido. Quando esfria a parte central abaixa, ok?


domingo, 11 de outubro de 2015

Salada de Feijão Preto

Uma salada cheia de "sustança" e sabor, ótima para um jantar de verão, com uma grande cama de folhas para acompanhar. O charme é o cominho, que dá um perfume especial..

SALADA DE FEIJÃO PRETO
Rendimento: 5 porções
1 xícara de feijão preto
½ cebola picada
1 tomate sem sementes picado
1 dente de alho pequeno bem picadinho
2 colheres de pimentão amarelo picado
½ xícara de cheiro verde picado
1 ovo cozido picado
1 fatia de bacon
Azeite
Sal
1 boa pitada de cominho moído
Deixe o feijão de molho por pelo menos duas horas.
Envolva a fatia de bacon em uma folha de papel toalha e leve ao microondas, em potência alta, ciclos de 20 segundos, virando a cada ciclo, até que fique bem sequinha e boa parte da gordura vá para o papel. Esfrie e pique bem. Coloque em uma tigela: o bacon, a cebola, o alho, o tomate e o pimentão.
Escorra a água do molho do feijão e cozinhe-o na pressão, em água limpa, por 7 minutos. Escorra e misture com os ingredientes da tigela. Tempere com o azeite, sal e o cominho. Finalize com a salsa e o ovo cozido. Misture e sirva gelada.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Maçã na manteiga

Vontade de uma coisa mais quentinha, mais aconchegante... Olha só um jeito gostoso de comer maçã, que com a manteiga junto vira comfort food e tem uma digestão um pouco mais lenta, te saciando por mais tempo...
MAÇÃ NA MANTEIGA
Rendimento: 3 porções
Ingredientes: 
1 maçã Fuji
1 colher de manteiga
1 colher rasa de açúcar
1 pitada de canela

Corte a maçã em quatro, retire as sementes e fatie não muito fino. Em uma frigideira, derreta metade da manteiga e “frite” metade das fatias de maçã, como se fosse um bife, mais ou menos um minuto de cada lado, até que dourem levemente. Repita a operação. Arrume no prato e polvilhe com bem pouco açúcar e canela.

Bolo Romeu E Julieta

Queijo frescal é uma delícia, mas às vezes demora muito para acabar, não é? Que tal usar em um bolo de-li-ci-o-so, com a sua parceira ideal, a dona goiabada??
BOLO ROMEU E JULIETA
Rendimento: 12 pedaços
½ xícara de nata fresca
½ xícara de leite
2 colheres de suco de limão
1 ovo
1 xícara de açúcar
½ xícara de farinha integral
1 xícara de farinha branca
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (café) de canela em pó
¾ de xícara de queijo minas frescal cortado em cubos
24 quadradinhos de goiabada
No copo do liquidificador, coloque a nata, o leite, o suco de limão, o ovo e o açúcar, e deixe descansar por 15 minutos.
Unte muito bem uma assadeira pequena (18x30, mais ou menos). Pré-aqueça o forno a 200 graus.
Em uma tigela, misture bem as farinhas, o fermento e a canela. Reserve.
Junte o queijo picado à mistura no liquidificador e bata até que fique liso. Misture o creme de queijo às farinhas, até obter uma massa lisa. Coloque a massa na assadeira, espalhe bem, e distribua os cubinhos de goiabada sobre ela. Leve ao forno por uns 30 minutos ou até que passe no teste do palito.

Vinagrete de morango

A grande diversão da culinária atual é que tudo pode ser refeito, mudado, inventado... A "receita original" não é obrigatória. É legal, tem história, mas a reinventada também é aceita. E em alguns casos.... adotada!
VINAGRETE DE MORANGO
Preparo: 5 minutos
Rendimento: 6 porções
4 morangos
1 colher de mostarda
1 colher de vinagre
1 colher de suco de limão
1 colher de mel
5 colheres de azeite de oliva
5 colheres de água
1 colher (café) de sal
Amasse com um garfo o morango e a mostarda, junte os outros ingredientes e misture muito bem.
Também pode bater tudo no liquidificador.

Cabotia flash picante

Tenho tido ótimas brincadeiras com o microondas... Essa abóbora cabotiá ficou pronta super rápido e é um acompanhamento perfeito! Mesmo que você more sozinho, não tem mais desculpa...
CABOTIÁ FLASH PICANTE
Preparo: 7 minutos
Rendimento: 1 porção
Ingredientes
Cabotiá fatiada com casca
Sal
Pimenta Calabresa ou Piripiri
Noz Moscada
Pimenta do Reino
Mel
Azeite
1 dente de Alho
Arrume as fatias de cabotiá em um refratário pequeno. Tempere com sal, as pimentas e a noz moscada. Junte 1 ou mais dentes de alho inteiros, apenas machucados com a lateral da faca. Regue com um fio fino de mel e finalize com azeite. Cubra o refratário com papel manteiga e leve ao microondas por 2 minutos na potência máxima.